[ editar artigo]

ADS ou SEO? Como estar no topo do feed

ADS ou SEO? Como estar no topo do feed

Estar no topo do feed de notícias está cada vez mais difícil para as marcas. Grandes mudanças acontecendo nos algoritmos das redes sociais fazem com que profissionais de marketing, digitais influencers e CEOs se atentem às tendências do Marketing Digital.  

Os objetivos das grandes plataformas — Google, Facebook e Instagram — estão mudando.

“Likes por likes”, não garantem relevância nas redes e uma palavra está no centro de todos os algoritmos: Engajamento.

Em janeiro de 2018, Mark Zuckerberg comunicou em seu perfil:

“As primeiras mudanças que você verá serão no Feed de notícias, onde você pode esperar ver mais de seus amigos, familiares e grupos. Enquanto implementamos isso, você verá menos conteúdo público, como postagens de empresas, marcas e mídia. E o conteúdo público que você mais vê, será mantido no mesmo padrão — isso deve incentivar interações significativas entre as pessoas.”

Então o investimento em ADS vai deixar de existir?

Com toda certeza, não. O investimento em ADS continuará a existir, até porque é uma das formas dessas redes monetizarem (ou seja, ganharem dinheiro).

Porém, o alcance delas não será o mesmo dos anos passados. Para muitas empresas essa, que era a solução, terá um desempenho cada vez menor e custará mais caro.

O próprio Mark, disse que irá incentivar as interações significativas, ou seja, estarão no topo do feed. Likes não significam tanto quanto antes, mas participar de uma publicação comentando e compartilhando, são sinônimos de engajamento real.

Se ADS não é uma solução sustentável, então devo investir em SEO?

Sim, mas com muito cuidado, o SEO se tornou uma febre em 2016. Veja as estatísticas de volume de busca nos últimos 5 anos no Brasil.

Dentro do mundo do SEO existem diversas regras e métricas para dizer se realmente o site é relevante para o usuário à ponto de estar no topo da página de buscas.

Uma delas é o tempo de permanência dentro do site ou canal. Os algoritmos entendem isto como um excelente indicador e, assim, o Blog voltou como uma tendência desde 2016.

O RD Station diz que 83,4% das marcas praticam Marketing de Conteúdo e 98,3% integram essa estratégia com a de SEO.  

Conteúdos para incentivar a permanência do usuário no site

A criação de conteúdo se tornou uma das maneiras mais interessantes para ganhar relevância. E ao longo destes 3 anos, a forma de criar conteúdo vem mudando (principalmente após o comunicado do tio Zuck).   

Grande parte destes conteúdos têm objetivos publicitários, ou seja, vender algo, seja um produto ou uma imagem positiva. Um exemplo disto é contratar um digital influencer para promover algo.

Como dito no início, as plataformas como Google, Facebook e Instagram estão beneficiando, organicamente, somente conteúdos que geram engajamento.

E a grande pergunta é: Como criar um conteúdo autêntico que converse com meu público?

Nesta análise da Rock Content de 2017, foram reveladas as maiores tendências para o ano de 2018. Uma delas é a geração de conteúdo por iniciativa do usuário.

Para criar um conteúdo engajador, é necessário gerar empatia, entender a fundo o consumidor deste conteúdo, saber quais são suas dores, quais as expectativas e os gostos desta persona.

E quem melhor do que seu próprio público para falar sobre estes assuntos?

É importante abrir oportunidades aos usuários interagirem de forma genuína. Tanto os consumidores, quanto as plataformas estão cada vez menos suscetíveis a publicidade online.

As formas de promoção estão mudando, agora, é necessário oferecer benefícios autênticos, vindo do seu próprio público. E, então, um mundo se abre para o Marketing boca boca.

  • 92% dos consumidores ao redor do mundo afirmam que confiam totalmente na indicação de um amigo ou familiar, acima de qualquer outra forma de propaganda – (Nielsen)

O marketing boca a boca ou de indicação, será cada dia mais utilizado dentro das redes sociais.

Todos temos orgulho de compartilhar algo de nossa própria criação, que ajude outras pessoas ou pelo simples fato de querer se mostrar ao mundo como entendedor do assunto.

E, assim, começa o efeito de rede, ou Network Effect

O problema de alcance do orgânico pode ser solucionado através desse efeito de rede. Cada compartilhamento é sinônimo de entrada a uma nova rede de contatos.

Lá em cima, comentei que serão priorizadas as publicações e os compartilhamentos dos seus amigos e familiares, lembram?

Sendo algo diferente da publicidade patrocinada, haverá mais engajamento e a promoção sobre a marca virá por consequência, desde que gere valor ao seu usuário.

O desafio do Marketing Digital, hoje, é fazer essa transformação

O velho marketing boca boca está se transformando em estratégias digitais, novas formas de engajar estão surgindo de maneira bem mais humana.

Confira também as maiores tendências para 2019 via RD Summit. Esse é o tipo de engajamento que o Facebook/Instagram procuram.

Marketing de Engajamento
Caio Yamashiro
Caio Yamashiro Seguir

Gestor comercial por formação, quase especialista em Marketing e participante da arte dos tambores japoneses em Curitiba. Apaixonado por modelo de negócios, métricas e pela cultura ((:

Ler matéria completa
Indicados para você