[ editar artigo]

Influenciadores digitais: o que evitar para sair do lugar comum e gerar influência?

Influenciadores digitais: o que evitar para sair do lugar comum e gerar influência?

Algumas pessoas acreditam que para ter influência é preciso apenas ter milhares de seguidores nas redes sociais. Este é um equívoco muito comum nos tempos atuais: confundir a figura de uma pessoa influente com um influenciador digital.

Embora parecidos, eles são bem diferentes.

Seja na faculdade, em um grupo de amigos ou mesmo na família. Sempre tem alguém cuja voz acaba repercutindo mais e seus posicionamentos impactam todo o grupo. Agora potencialize isso em uma rede social e você terá um influenciador digital. Alguém cujo conteúdo repercute na internet, gerando interesse do público.

O que gera influência então?

Pense em você. Qual tipo de conteúdo atrai sua atenção? O que você considera interessante que as pessoas digam? Qual perfil de pessoas e conteúdos você mais gosta?

As respostas para essas perguntas são indicadores do que costumam ser alguns fatores em comum entre influencers. Assuntos que sejam interessantes para a comunidade e criem engajamento são ótimas maneiras de aumentar a relevância perante outras pessoas.

No geral, os influenciadores digitais são pessoas que falam sobre determinados temas com originalidade, criatividade e autenticidade.

Prova disso é que um dos principais motivos do sucesso do marketing de influenciadores é a linguagem. Não é à toa: a maioria dos influenciadores digitais utiliza uma maneira de se comunicar muito mais próxima do público do que os veículos mais tradicionais de mídia.

O problema, no entanto, não está na influência em si, mas sim no caminho que eventualmente os influenciadores buscam para encontrar esse resultado. Mas antes de seguirmos, vamos entender com mais detalhes quem são esses indivíduos.

Quem é o influenciador digital?

Nos anos 2000 surgiu a figura do influenciador digital. Eles começaram como personalidades da web no Orkut e Fotolog, e com a ascensão do Instagram e YouTube eles se tornaram verdadeiras estrelas.

Na maioria dos casos são pessoas comuns que foram catapultadas para a fama por meio do conteúdo que geram e da autenticidade do seu trabalho. Por meio de personalidades únicas, pessoas até então desconhecidas passam a exercer influência sobre as outras.

Com a figura do digital influencer cada vez mais estabelecida, alguns padrões de comportamento tem se tornado até clichês entre eles. Quem nunca ouviu falar da figura da “blogueirinha” ou do “instagram fitness”? São alguns tipos de influenciadores que tem se tornado cada vez mais comuns.

A corrida do ouro para conquistar um espaço nesse mercado ficou tão maluca, que recentemente até surgiram pequenos escândalos de influenciadores “fake”. Em resumo, pessoas que fingem os famosos “recebidos”, não entregam todo o resultado que prometem, e no fim das contas até alugam espaços para fazer fotos e vídeos pretendendo ser alguém e viver uma vida que não têm.

O crescimento desse mercado e essa busca ensandecida por audiência tornou cada vez mais comuns determinados comportamentos, tanto nos influenciadores digitais já estabelecidos, quanto nos “wannabe”. Para você ficar atento, e conseguir identificar quem são os influenciadores bons — e autênticos — separei aqui alguns desses comportamentos que ninguém mais aguenta ver em influenciadores. Se liga!

Mimos

Quase todos grandes influenciadores digitais acabam recebendo presentes de marcas. Em troca de uma divulgação de um produto ou serviço, eles acabam sendo agraciados com brindes de todos os tipos.

Popularmente conhecido como “recebidos” é comum que os influenciadores exibam no Instagram ou YouTube.

Claro que é muito legal receber presentes e mostrar para os fãs. Afinal, a marca só lhe deu isto pois espera que você divulgue. Mas será que não existe uma maneira mais criativa de fazer isso? Quem sabe uma foto utilizando o produto no cotidiano seja mais interessante, tanto para marcas quanto para o público.

Desafios

Atire a primeira pedra (virtual, por favor) quem nunca entrou na home do YouTube e viu um vídeo de “desafio”. Seja algum tipo de brincadeira ou algo do gênero, esse nicho tem se tornado muito comum e quase saturado nos últimos meses.

Um erro muito comum é tentar copiar a fórmula que tem feito sucesso com outros youtubers. Com isso o conteúdo acaba ficando genérico e sem autenticidade, pois é visto por muitas pessoas em outros canais.

Se todos estão fazendo, por qual motivo eu iria ver o seu vídeo e não o do outro? Brincadeiras e jogos são ótimos programas de entretenimento desde sempre, mas além de fazer o que já dá certo, é interessante pensar em novos formatos.

OLHA NO QUE DEU

Este é o maior clickbait da internet atual — em bom português, a isca para atrair cliques. Com títulos sensacionalistas, letras garrafais e pouca inspiração, muitos vídeos têm utilizado esta estratégia para conquistar mais visualizações.

Como uma praga, esta estratégia acaba apelando para tentar se destacar dos outros vídeos. Costuma ser mais utilizada em vídeos voltados para o público infanto-juvenil.

Não grite (EM CAIXA ALTA) e nem subestime a inteligência da sua audiência. Gastar alguns minutos pensando em um título mais criativo irá trazer belos resultados para um vídeo. Além disso, a originalidade vai chamar mais atenção do que aqueles que sempre se repetem.

Vida extremamente pública

Privacidade? Melhor esquecer essa palavra para alguns influenciadores digitais. Para prender a atenção do público e criar um relacionamento mais próximo, muitos deles dividem quase toda a vida com os fãs.

É comum encontrar algumas pessoas que passam os dias postando tweets, stories e lives no Instagram, e até mesmo mais de um vídeo por dia no YouTube.

Na maioria das vezes os fãs querem acompanhar a vida dos ídolos, mas até para isso existe um limite saudável. Não expor totalmente a vida facilita na hora de cortar alguns excessos, que possam ser cometidos por pessoas inconvenientes ou mal intencionadas.

Bons exemplos

Diversas pessoas se destacaram por fazer algo de maneira diferente. Com o tempo elas se tornam referência em determinados assuntos.

Quantos canais do YouTube você conhece de culinária? Aposto que vários. Mesmo em um nicho tão concorrido como esse, o canal Ana Maria Brogui conseguiu um grande espaço na internet. Especializado em reproduzir pratos famosos — quem nunca quis saber como é feito o molho especial? — o canal se tornou sucesso na internet.

O criador Caio Novaes chegou até a lançar um livro de receitas e hoje se tornou uma referência no assunto. Mesmo em um tema tão conhecido, ele não buscou repetir o que os outros já faziam, e com sua personalidade, deu um diferencial para o canal.

Edson Castro, Leonardo Filomeno e Weslley Alves também são os criadores de um sucesso na internet. Falando sobre o comportamento masculino, o blog Manual do Homem Moderno foi criado em 2012 e hoje é uma referência no assunto.

Moda, futebol, comportamento, dinheiro e sexo são alguns dos temas mais abordados no blog. Hoje, além de texto os conteúdos também são produzidos em vídeo e nas redes sociais. São conteúdos que quebram o conceito do que é “ser homem” e falam de uma visão mais moderna (como diz o nome) sobre isso.

Para inovar e ser original não é preciso uma ideia mirabolante e quase impossível de ser executada. Algo simples, mas feito com a sua cara, pode ser mais relevante. Lembre-se também que influência não se compra ou se atinge em pouco tempo: é preciso muito trabalho para se tornar alguém relevante em um tema.

Aposto que essas histórias devem ter te inspirado e feito você pensar na sua próxima campanha com influenciadores digitais. Ou até mesmo no conteúdo que você pode produzir para gerar a sua relevância.

Que tal começar contando sua experiência com influenciadores digitais aqui no Marketing de Engajamento? Tem alguém que você segue e adora o conteúdo? Conte para a comunidade aqui e apresente seus motivos. Ou ainda existe um influenciador que se encaixa muito no eu falei, e você acha péssimo? Compartilhe essa história aqui também. É da troca de conhecimento que nascem as melhores experiências.

Vamos juntos?

Marketing de Engajamento
Marcus Pereira
Marcus Pereira Seguir

Conteúdo e Inbound Mkt @ Duopana

Ler matéria completa
Indicados para você