[ editar artigo]

Microinfluenciadores digitais geram mais resultado do que os influencers gigantes (e os números comprovam)

Microinfluenciadores digitais geram mais resultado do que os influencers gigantes (e os números comprovam)

Buscar novas formas de divulgação e comunicação com os usuários tem sido a tônica desde o começo do milênio para agências, marcas e empresas de todo tipo. Mais recentemente, foram os influenciadores digitais que se tornaram os queridinhos das campanhas de marketing. Agora é a vez dos microinfluenciadores digitais, uma derivação dos primeiros. Fique comigo até o fim, e você vai ver como eles são a melhor opção para você, e o seu negócio.

LEIA MAISPor que o marketing de comunidade pode agregar na sua estratégia de comunicação?

Pense comigo, quantas vezes você viu recentemente alguma marca anunciando um produto ou serviço com a ajuda de um digital influencer? Aposto que muitas. 

Pois é, mas o caminho para o sucesso dessa estratégia pode estar bem longe das grandes estrelas. Mesmo com menos seguidores — em torno de 10 mil — os microinfluenciadores têm se tornado a opção mais certeira para quem busca grande retorno e baixo investimento.

Mas para entendermos melhor este movimento é preciso contextualizar o mercado de influenciadores digitais. Eles fazem parte do marketing de influência, uma estratégia que utiliza indivíduos para divulgar serviços e produtos para suas respectivas redes. Com o avanço das redes sociais, essa tem sido uma das principais tendências da comunicação e dos negócios digitais.

Marketing com influenciadores

O Benchmarking Report 2019, do Influencer Marketing Hub, apontou dados interessantes sobre o uso de influenciadores digitais. Desde a quantidade de interações, usuários nas plataformas e até o número de agências que se dedicam ao trabalho com personalidades da internet, tudo está crescendo durante a última década e tende a continuar assim pelos próximos anos.

Essas informações reforçam a percepção de qualquer profissional do mercado, de que o público está reagindo bem à este tipo de campanha. Por conta da proximidade com os influenciadores, o discurso mais informal tem sido um dos grandes trunfos para marcas que desejam atingir determinados públicos.

Não à toa, escolher um digital influencer é a primeira opção para muitas marcas na hora de anunciar um lançamento. São bons números e um retorno satisfatório de mídia, especialmente nas redes sociais, local onde a atuação dos influenciadores digitais costuma repercutir.

Mas com a escolha certa isso pode ser ainda melhor. Aliás, muito melhor!

Qual o melhor influenciador digital para a minha campanha?

Esta pergunta é feita diariamente em agências de publicidade, marketing e comunicação ao redor do mundo inteiro. Afinal de contas, a estratégia de criar campanhas com influenciadores digitais dá certo se for bem feita. Então, é só escolher um nome e começar a colocar a mão na massa, certo?

Errado.

A decisão sobre quem será o influenciador é uma das mais importantes durante todo o processo. E, infelizmente, é nessa parte que muitas escolhas erradas são feitas. Motivados pela vontade de obter mais visibilidade, a seleção pelos influenciadores gigantes, que possuem milhões de seguidores, acaba iludindo. No final do dia, o problema é que o resultado pode não ser exatamente tão grande quanto o esperado.

LEIA MAISComo criar uma comunidade online com seus seguidores

Conforme apontado pelo Benchmarking Report 2019, quanto maior o número de seguidores, menor o engajamento obtido. Nesse sentido, aqueles com milhões e milhões de fãs são os que mais são afetados, pois chegam a possuir números irrisórios de participação ativa dos usuários.

A regra é simples: 

muitos seguidores →  baixo engajamento ✖️

menos seguidores →  grande engajamento ✔️

(Influencer Marketing Hub)

Segundo o arquiteto Ludwig Mies van der Rohe: “Menos é mais”. Essa frase define bem o exemplo do uso de influenciadores digitais em campanhas de marketing, principalmente no ponto que diz respeito ao número de seguidores. Por isso, trabalhar com microinfluenciadores é, na verdade, a melhor opção que se apresenta para a maior parte das empresas.

Microinfluenciadores na estratégia de marketing

Os microinfluenciadores têm conquistado um espaço cada vez maior no meio do marketing digital. Geralmente com números em torno de 10 mil seguidores, eles possuem o alto percentual de engajamento como o grande diferencial neste segmento. Alguns até chegam a ter 20 ou 30 mil seguidores.

(Influencer Marketing Hub)

Ainda segundo o estudo já citado anteriormente, microinfluenciadores com 10 mil seguidores possuem um índice de engajamento de até 3,6%, enquanto aqueles que têm 100 mil seguidores chegam a no máximo 1,1%. É uma diferença e tanto, não é?

Esta diferença é ainda mais brutal quando falamos de microinfluenciadores com 5 mil e aproximadamente 1 mil fãs. Enquanto os primeiros chegam a 5,3% de engajamento, aqueles com menos seguidores alcançam incríveis 7,2% de participação dos seguidores.

Esses dados apontam que a vantagem de se trabalhar com microinfluenciadores é extremamente alta. Não só pelo resultado de engajamento, mas também pelo custo mais reduzido que as ações com esses perfis vão gerar. 

LEIA MAIS  - Hype: quem são os defensores de marca do mundo da moda

Isso vale também para grandes marcas que buscam resultados expressivos. Seguindo nessa linha, é mais interessante trabalhar com 20 digital influencers com 5 mil seguidores cada, do que com um de 100 mil. Os números comprovam isso.

Microinfluenciadores e o nicho

Todos já sabem que a comunicação digital voltada para os nichos apresenta ótimos resultados. Segmentar o público possibilita a criação de materiais mais específicos e que atendam melhor às necessidades do público, e da empresa, consequentemente.

Além dos já tradicionais anúncios em veículos específicos, o trabalho com microinfluenciadores é uma das formas mais modernas e eficientes de comunicação com um nicho da audiência.

Por já falarem com proximidade com os seguidores, eles costumam ter uma inserção em um nicho maior ainda do que uma revista, site ou página sobre determinado assunto. Nunca devemos deixar de levar em consideração o relacionamento com os fãs, algo de extrema relevância e que é um dos pontos fortes dos microinfluenciadores.


A escolha por microinfluenciadores é certamente a mais indicada para empresas com espírito disruptivo e que desejam investir em uma das principais tendências do mercado. Além disso, esses influencers devem cultivar cada vez mais as parcerias e a forma de trabalhar, pois a tendência é que o crescimento deste segmento siga firme.

As comunidades criadas em torno desses microinfluenciadores também despontam como um movimento que apresenta alta e deve ficar ainda mais relevante no futuro próximo. Com isso, as possibilidades de uma ação de marketing com esses profissionais são quase infinitas e vão muito além do tradicional.

LEIA MAIS8 conceitos da psicologia para usar no marketing digital

Você já pensou em uma colaboração com microinfluenciadores? Uma comunidade pessoas com esse perfil discutindo temas relacionados ao seu universo, gerando valor para você e os seus negócios. 

Se ainda não parou para pensar nisso, a hora é agora. Deixe a sua opinião nos comentários sobre essa estratégia que está crescendo a passos largos. Farei questão de te responder para seguirmos nessa conversa e encontrarmos o caminho ideal para você fazer parte dessa revolução dos microinfluenciadores.

Marketing de Engajamento
Luciano Kalil
Luciano Kalil Seguir

CEO - Duopana - Plataforma para você criar comunidades e ambientes colaborativos de produção de conteúdo.

Ler matéria completa
Indicados para você