[ editar artigo]

Social Learning: como os millennials estão mudando a educação online

Social Learning: como os millennials estão mudando a educação online

A forma como as pessoas aprendem não é a mesma desde sempre. Se antes a figura de um professor falando e os alunos apenas ouvindo era regra, hoje já não podemos dizer o mesmo. Conhecido como Social Learning, estamos diante de um novo modelo que propõe um aprendizado em grupo, envolvendo a troca de informações, e claro, bem diferente do que estamos acostumados.

LEIA MAIS  - Microinfluenciadores digitais geram mais resultado do que os influencers gigantes (e os números comprovam)

Os principais “culpados” por essa mudança são os integrantes da geração Y, mais conhecidos como millennials. 

Afinal de contas, você acha mesmo que a geração que fez o CD, o DVD, o jornal impresso e as enciclopédias sumirem do mapa iria querer estudar da mesma maneira que seus pais?

Pois é, os millennials mudaram o mundo e agora estão querendo mudar as próximas gerações por meio da educação. Sentar em uma sala de aula e cursar uma graduação já não é mais tão interessante quanto era antes.

Assim como em muitas outras áreas, a educação também mudou por conta da presença da geração nascida entre os anos 80 e 90. Além de ocuparem a sociedade, os millennials também tem transformado setores que eram extremamente tradicionais, como o do ensino. 

Millennials e o mundo

A geração que nasceu entre os anos 80 e 90 pode não ter tido internet na infância, mas cresceu com ela durante a adolescência e ajudou a moldá-la como conhecemos hoje. Nada mais natural que esse espírito acabasse chegando até outras áreas da vida, uma hora ou outra.

Tal impacto já está sendo sentido também no mercado de trabalho, que está tendo que se adaptar ao novo estilo de vida dos mais jovens em nossa sociedade. Novas formas de recrutar, cargas horárias diferenciadas e menos estabilidade fazem parte da vida dessas pessoas que estão forçando a mudança nas empresas.

Inquietude. Essa palavra define com certa precisão o perfil da geração Y, que se acostumou com mudanças e não aceita a mesmice. Se isso acontece com o mercado de trabalho, imagine o que acontece com outro setor extremamente importante: a educação.

LEIA MAISLifelong Learning: como a educação e a tecnologia podem andar juntas?

Mas para continuarmos é importante deixar uma coisa bem clara. Educação não se refere apenas ao ensino formal na escola e faculdade. Aprender, principalmente para os millennials, é algo feito durante toda a vida e muitas vezes fora de uma sala de aula com carteiras e um professor falando para os alunos.

Esse conceito é conhecido como Lifelong Learning, e entende que o aprendizado se dá ao longo da vida e em contextos variados — não apenas na sala de aula convencional. Eu, inclusive, já falei sobre ele aqui no Marketing de Engajamento e você pode ler este artigo aqui.

Social learning e os millennials

Essa maneira como a geração Y encara o aprendizado vai de encontro com o conceito de social learning. Essa teoria defende que o ensino deve ser feito em grupo e promovendo uma interação entre os alunos, que, dessa forma, trocariam informação, experiências e teriam um aprendizado muito mais rico.

A classe tradicional, com a figura de um professor que ensina e alunos que só aprendem e não debatem não atrai os millennials. De fato, estudos apontam que metade desta geração é contra o formato tradicional de ensino de uma sala de aula.

Note que os millennials não são contra a educação, muito pelo contrário. Eles buscam o aprendizado, a diferença está na apenas na maneira que eles fazem isso e no formato. Ou seja, podemos supor que o modelo de ensino que vimos durante o século passado pode estar com os dias contados. Ainda mais com o avanço da tecnologia, proporcionando novas possibilidades e expandindo os horizontes.

No social learning há muito mais contato entre as pessoas, que não necessariamente precisam estar próximas fisicamente. Por conta da internet, essas barreiras podem ser derrubadas para formar uma ideia muito mais dinâmica de aprendizado.

Nada mais normal que pessoas que estão acostumadas com redes sociais procurassem algo parecido em outras situações da vida também, não é mesmo? O social learning proporciona uma vivência mais profunda do ensino, ao permitir que os alunos encontrem soluções em grupo e estimulem a criatividade.

LEIA MAISPor que o marketing de comunidade pode agregar na sua estratégia de comunicação?

Um dos maiores feitos do social learning é quebrar com a ideia de que o professor só ensina e o aluno só escuta. Essa via de mão única acaba engessando potenciais criadores e mentes pensantes, pois neste formato não existe o fomento do comportamento colaborativo.

Essa mudança é vista também em quem ensina. Nesta modalidade não existe mais a figura do mestre, mas sim de um instrutor. Ele guia, orienta e proporciona o aprendizado entre toda a comunidade envolvida, ou seja, os alunos.

O futuro da educação é online

Muitas de nossas atividades já são feitas online. Foi-se o tempo em que era necessário ir ao banco para pagar uma conta, à locadora para alugar um filme e até mesmo ao supermercado ou a um restaurante para comprar comida. A internet mudou a forma como todos nós vivemos, e está mudando a maneira como aprendemos também.

Há alguns anos o ensino a distância tem se tornado uma alternativa para quem quer acessar o ensino superior. Com o comprovado sucesso, essa fórmula já está sendo aplicada para toda forma de educação.

A profusão e o sucesso dos cursos online nos últimos anos demonstra potencial desse mercado e que há entre as pessoas uma grande sede de conhecimento, dos mais variados assuntos e formas. Desde um breve curso de verão, até mesmo uma especialização, aprender por meio da internet tem feito cada vez mais parte da vida de milhões de pessoas.

É inegável que a internet ampliou consideravelmente o acesso à educação para uma parcela considerável da população, no Brasil e no mundo. Não à toa, o número de vagas de EAD já é maior do que o das presenciais. Aprender sobre um assunto online é muito mais dinâmico, prático e barato na imensa maioria dos casos.

Matricular-se em um curso e estudar quando puder, nos horários mais convenientes, e ao mesmo tempo ter a vivência da troca entre os alunos em uma sala de aula já é possível. Mais do que isso, essa tem sido a opção de muita gente que deseja aprender mais sobre um determinado assunto, mas que não pode ou não deseja entrar em uma instituição de ensino tradicional.

Educação em comunidades online

Aprender em grupo é o futuro da educação, isso já vimos. Mas não significa que ela acontece apenas por meio de aulas e materiais de ensino. As comunidades online acabam propiciando esse aprendizado, a partir do conceito de Social Learning.

Geralmente focada em assuntos específicos, esses ambientes reúnem pessoas que gostam de um mesmo tema e querem saber mais sobre ele. Elas trocam informações, compartilham conhecimento e tem experiências enriquecedoras juntas. Isso não te parece com algo?

Sim, as comunidades online têm se tornado excelentes plataformas de educação voltadas ao Social Learning. 

Não só por isso, mas por também apresentarem todas as condições de extensão do ensino, seja por meio de cursos online, ou mesmo pela assinatura de grupos de conteúdos e conhecimentos específicos.

Há alguns anos, diversos especialistas em várias áreas já perceberam o poder da informação e do conhecimento. Falar sobre um assunto que a pessoa domina, e convidar mais gente para saber e falar sobre ele, tem sido o caminho para muitos especialistas. Eles compartilham conteúdos, promovem debates e, dessa forma, geram mais valor para a sociedade por meio da educação.

Uma comunidade online reúne na mesma plataforma a troca de conteúdo, a interação entre os alunos e a oportunidade de todos contribuírem com o ensino. Além disso, algumas plataformas apresentam a possibilidade da criação e ofertas de cursos online e assinaturas de conteúdo para os integrantes da comunidade. 

Uma dessas plataformas é a Duopana. Um ambiente desenvolvido e pensado para proporcionar experiências de Social Learning, seja por meios dos cursos online ou da assinatura de grupos fechados de conteúdo. Para saber mais, é só acessar o site da plataforma.


Uma nova forma de aprendizado está em curso e o futuro dela promete ser dinâmico e acessível. Não só os millennials, mas todos serão beneficiados pela oportunidade de aprender sobre qualquer assunto ao longo da vida com mais facilidade e liberdade.

LEIA MAIS  - Como criar uma comunidade online com seus seguidores

Esta tendência se mostra importante não apenas para alunos e educadores, mas também para empresas que buscam usar o conteúdo e o conhecimento como forma de divulgação, aquisição de clientes e crescimento do negócio.

Você está preparado para o Social Learning? Deixe nos comentários a sua opinião sobre o futuro da educação e vamos juntos construir esse debate!

Marketing de Engajamento
Luciano Kalil
Luciano Kalil Seguir

CEO - Duopana - Plataforma para você criar comunidades e ambientes colaborativos de produção de conteúdo.

Ler matéria completa
Indicados para você